notícias
o leopardo 2

O Leopardo, de Luchino Visconti, é exibido nos Clássicos do Janela

13/11/2012 09:57

Antecipando as celebrações dos notáveis 50 anos da estreia em Cannes, a se completar em 2013, o Janela Internacional de Cinema do Recife apresenta a cópia restaurada de O Leopardo (Il Gattopardo, 1963), premiado filme de 1963 do diretor italiano Luchino Visconti, baseado no romance homônimo de Giuseppe Tomasi di Lampedusa. O cinema São Luiz e seu tom de palácio deixa a exibição ainda mais magistral numa homenagem aos 60 anos da casa.

Estrelado por Burt Lancaster, Alain Delon e Claudia Cardinale entre outros, o filme foi o vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes no ano de seu lançamento e concorreu ao Oscar no ano seguinte.  O filme, considerada a obra-prima de Luchino Visconti (1906-1976), recria a atmosfera vivida nos palácios da aristocracia durante o Risorgimento – longo processo de unificação dos Estados autônomos que originaram o Reino de Itália, em 1870. O cenário político italiano é reconstituído e retrata dilemas dos personagens  como o protagonista Dom Fabrizio Salina (Burt Lancaster), inspirado no avô do escritor, príncipe de Lampedusa.

Algumas curiosidades sobre o filme:

- O diretor Luchino Visconti queria que Laurence Olivier interpretasse o príncipe Don Fabrizio Salina, mas os produtores insistiram que o personagem fosse interpretado por um astro de Hollywood, visando um maior retorno de bilheteria;

- É o 1º filme em que o diretor Luchino Visconti e o ator Burt Lancaster trabalharam juntos. O posterior foi Violência e Paixão (1974);

- É o segundo encontro do diretor com ator Alain Delon que trabalharam juntos anteriormente  Rocco e Seus Irmãos (1960); também é a segunda parceria de Visconti e a atriz Claudia Cardinale  que também fizeram  juntos Rocco e Seus Irmãos, Vagas Estrelas da Ursa (1965) e Violência e Paixão (1974). Com O Leopardo, a dupla Alain Delon e Claudia Cardinale apareceu em três filmes do cineasta italiano, juntos ainda em Rocco e Seus Irmãos e A Patrulha da Esperança (1966);

- Warren Beatty viajou até Roma para encontrar o diretor, na intenção de interpretar o personagem Tancredi Falconeri;

- A versão original de O Leopardo tinha 205 minutos. Porém logo após seu lançamento nos cinemas italianos o diretor Luchino Visconti reeditou o filme, que passou a ter 195 minutos. A versão exibida no Festival de Cannes teve esta duração. Posteriormente, Visconti reeditou outra vez O Leopardo, que passou a ter 185 minutos. Esta versão foi lançada em DVD no Brasil.

TERÇA, 13/11

SÃO LUIZ
16h – Panorama Alemão, 94’- Para Elise, Wolfgang Dinslage (Alemanha), 2012, cor, DCP.
18h – CURTAS BRASILEIROS 5, 69’ – Dizem Que Os Cães Veem Coisas, de Guto Parente (CE) 2012, 12′, cor, digital; A Mão que Afaga, de Gabriela Amaral Almeida (SP) 2011, 19′, cor, 35mm e digital; Um Diálogo de Ballet, de Filipe Matzembacher, Márcio Reolon (RS) 2012, 8′, cor, digital; Os Mortos Vivos, de Anita Rocha da Silveira, (RJ) 2012, 20′, cor, DCP e digital; Porcos Raivosos, de Isabel Penoni e Leonardo Sette (PE) 2012, 10′, cor, DCP.
20h – CLÁSSICOS DO JANELA, 187’ – O Leopardo, Luchino Visconti (Itália), 1963, 187′, cor, 35mm exibido em DCP .

CINEMA DA FUNDAÇÃO
17h – CURTAS BRASILEIROS 1 – HISTÓRIA ORAL, 78’ –  CURTAS BRASILEIROS 1, 78’ – IN, de Bruno de Oliveira (PR) 2012, 10′, cor, digital; A Vida Noturna das Igrejas de Olinda, de Mariana Lacerda (SP-PE) 2012, 19′, cor, digital; Quem tem medo de Cris Negão?, de René Guerra (SP) 2012, 24′, cor, digital; A Onda Traz, O Vento Leva, de Gabriel Mascaro (PE) 2012, 25′, cor, digital.
19h –  CLÁSSICOS DO JANELA, 120’ – Veludo Azul, David Lynch (EUA), 1982, cor, 35mm. (Reprise)
21h – PANORAMA ALEMÃO, 95’ –  Speed – Em Busca do Tempo Perdido, Florian Optiz (Alemanha)