CURTAS NACIONAIS

Heitor Augusto
Crítico de cinema, pesquisador, professor e jornalista. Tem textos publicados em revistas eletrônicas, veículos da mídia impressa, além de catálogos de mostras de cinema e coletâneas. Ministrou os cursos “Um Olhar Sobre o Cinema Autoral Brasileiro”, “Historiografia do Cinema Brasileiro”, “Blaxploitation e o Cinema Negro dos EUA”, entre outros. Coordenou a oficina “Janela Crítica” (2015-16) e integrou a comissão de seleção do 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, além de ter atuado como curador freelancer e composto o júri oficial de diversos festivais. Mantém o blog Urso de Lata (www.ursodelata.com) e atualmente finaliza um livro de ensaios sobre o cinema Blaxploitation.

Milenas Times
Milena Times nasceu no Recife, é formada em jornalismo pela UFPE e mestre em Comunicação e Sociedade pela UnB. Trabalha com cinema desde 2007, atuando como produtora, assistente de direção, roteirista e realizadora. Criou a produtora Espreita e seus dois curtas metragens – “Au Revoir” (2013) e “Represa” (2016) – participaram de diversos festivais nacionais e internacionais e juntos ganharam cerca de 20 prêmios. Atualmente, Milena desenvolve o roteiro de “Novembro”, seu primeiro longa-metragem. É integrante do movimento Mulheres no Audiovisual Pernambuco (MAPE).

Mariana Souto
Doutora em Comunicação Social pela UFMG e mestre pela mesma universidade, onde pesquisou cinema brasileiro. Professora da graduação em Cinema e Audiovisual da UNA. Co-programadora do Cineclube Comum, uma das curadoras do Festival Internacional de curtas de Belo Horizonte e da Mostra Corpo e Cinema (Caixa Cultural). Integrante do Grupo de Pesquisa Poéticas da Experiência (UFMG). Diretora de arte, figurinista e assistente de montagem. Colabora com textos para catálogos de mostras, revistas acadêmicas e sites de crítica.

CURTAS INTERNACIONAIS

Nathália Tereza
Nathália Tereza é graduada em cinema. Dirigiu os curtas “A casa sem separação” (2015) , “A outra margem” (2015, Melhor Direção e Prêmio da Crítica no 48º Festival de Brasília) e “De tanto olhar o céu gastei meus olhos” (2017). É produtora e montadora da série “Rarefeito”, com exibição na TV Cultura e atualmente desenvolve seu primeiro longa-metragem.

Dea Ferraz

Dea Ferraz é diretora e roteirista, formada em jornalismo, com especialização em documentários na EICTV – Cuba. Em 2016 lançou o Câmara de Espelhos,​ que estreou no Festival de Brasília e seguiu participação em festivais como Janela Internacional (PE), Panorama Coisa de Cinema (BA) e ForumDoc (BH). Com longas, curtas e médias em sua trajetória, Alumia, ​seu primeiro média (2009), percorreu a América Latina e sagrou-se vencedor, como melhor filme, em festivais como Santiago Alvarez-In Memorian (Cuba), Contra el Silencio todas las Voces (México) e 5º DOCSDF (México).

Miguel Ribeiro
Nasceu em Lisboa, em 1992, onde vive e trabalha. Licenciado em Ciências da Comunicação pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, é programador do Doclisboa, desde 2012. Produz filmes e é membro do colectivo artístico Rabbit Hole. Líder da produtora Filmes do Asfalto, responsável por António Um Dois Três (2017), de Leonardo Mouramateus.

LONGA

Nele Wohlatz
Nascida na Alemanha, morando na Argentina. Estudou cenografia na Universidade de Artes Aplicadas de Karlsruhe e cinema na Universidade Torcuato di Tella, Buenos Aires. Seu primeiro longa, “Ricardo Bär” (codirigido por Gerardo Naumann) estreou no BAFICI em 2013. “El futuro perfecto”, seu primeiro longa dirigido sozinha, estreou em Locarno em 2016, onde ganhou o prêmio de Melhor Primeiro Longa-Metragem. O filme foi selecionado por mais de 60 festivais internacionais, ganhando diversos prêmios, e foi lançado em cinemas da Argentina, Brasil, México e Estados Unidos em 2017. Dirigiu vários curtas e vídeos para espetáculos teatrais, e ensina cinema documentário no Centro de investigaciones artísticas (CIA), em Buenos Aires.

Carlos Alberto Mattos
Crítico e pesquisador desde 1978, já escreveu para O Globo, JB e Estadão. Coordenou o cinema do CCBB-Rio entre 1989 e 97. É ex-editor das revistas Cinemais e Filme Cultura e autor de sete livros sobre cineastas brasileiros, além da coletânea “Cinema de Fato – Anotações sobre Documentário”. Para o Canal Brasil dirigiu o programa “Jurandyr Noronha – Tesouros Quase Perdidos” (2010) e apresentou a série “Faróis do Cinema” (2015). Escreve em www.carmattos.com

Gabriela Amaral Almeida
Gabriela Amaral Almeida é mestre em literatura e cinema de horror pela UFBA, com especialização em roteiro pela Escuela Internacional de Cine y TV (EICTV) de Cuba. Como diretora, realizou os curtas “Náufragos” (2010, co-dirigido com Matheus Rocha), “Uma Primavera” (2011), “A Mão que Afaga” (2012), “Terno” (2013, co-dirigido com Luana Demange) e “Estátua” (2014), selecionados para mais de cem festivais nacionais e internacionais. Recentemente, Gabriela está circulando em festivais com seu primeiro longa-metragem “O Animal Cordial”. Seu mais recente trabalho foi como roteirista do média-metragem “A terra treme”, de Walter Salles, em processo de finalização.

Competição de Longas
Clássicos do X Janela
Janela Crítica
L.A. Rebellion
Competitiva de Curtas Brasileiros
Sessões Especiais
Lucrecia Martel
Competitiva de Curtas Internacionais
Aulas e mesas de debate
Cachaça Cinema Clube
Cinélatino Rencontres de Toulouse
Toca o Terror