por Juliano Gomes, coordenador pedagógico do Janela Crítica 2018

Como uma atividade pedagógica de curto prazo, o objetivo do Janela Crítica de 2018 foi plantar sementes. Produzir memória sobre cinco dias de festival, sobre um recorte de filmes, a partir do olhar de seis jovens universitários escolhidos entre os inscritos.

Antes do festival, nos encontramos por dois dias, em dois turnos cada. As metas ali eram duas: que nos conhecêssemos melhor para formarmos um coletivo que trocasse internamente, e introduzir um pouco no que consiste o trabalho do pensamento relacionado ao cinema.

Estes textos abaixo foram objeto de muita conversa interna, revisões, comentários, versões. O objetivo é que, pelo exercício, cada pessoa conseguisse chegar mais perto de sua voz textual, da sua maneira singular de abordar o que viram junto. A heterogeneidade deste conjunto de vinte e três textos atesta a presença deste desejo.

Outra parte crucial do processo foi que o grupo se dividiu entre dois júris de três pessoas, que premiaram curtas e longas em competição no Janela. O significado dos gestos de um júri num evento de arte também foi objeto de nossas conversas nesse espaço de menos de uma semana.

Em um momento onde o individualismo e o reinado da pura opinião pessoal ameaçam o vigor do debate público mundial, atividades que busquem o exercício crítico tem uma importância política ainda mais acentuada. Crítica é, antes de qualquer coisa, partilha. Uma combinação fina entre olhares que se oferecem ao outro mutuamente, tentando deixar traços vivos dos encontros com os filmes e os ambientes. É salutar que os eventos culturais se concentrem cada vez mais em atividades de formação, como o Janela Crítica. Um novo panorama das instituições culturais brasileiras depende radicalmente deste tipo de intervenção.

Desejo a vocês uma prazerosa leitura.

Abrigo Nuclear, por William Oliveira

Azougue Nazaré, por Dandara Cipriano

Bup, por Lorenna Rocha

Cartuchos de super nitendo em aneis de Saturno,  por Letícia Batista

Guaxuma, por Carol Lima

Inconfissões, por Carol Lima

Inferninho, por Dandara Cipriano

Inferninho, por William Oliveira

Kaniama Show, por Lorenna Rocha

Los Silencios, por Gabriela Souto Maior

Mesmo com tanta agonia, por Gabriela Souto Maior

My Expanded View, por Carol Lima

NoirBlue, por Dandara Cipriano

O homem que surpreendeu todo mundo, por  Lorenna Rocha

O homem que surpreendeu todo mundo, por Dandara Cipriano

Oponentes Invisíveis, por Gabriela Souto Maior

Plano Controle, por Letícia Batista

Quantos eram pra tá?, por Dandara Cipriano

Quantos eram pra tá?, por Letícia Batista

Quantos eram pra tá?, por Lorenna Rocha

Quantos eram pra tá?, por William Oliveira

Um encontro com Dandara de Morais e Vinícius Silva, por Dandara Cipriano e William Oliveira

Uppland, por Gabriela Souto Maior