XII JANELA INTERNACIONAL DE CINEMA DO RECIFE

PRÊMIO DO JÚRI

Helen Beltrame-Linné, Letícia Simões, Samuel Paiva

CURTAS INTERNACIONAIS

IMAGEM: 
Resista Num Pálido Ponto Azul (Linger On Some Pale Blue Dot), Alexandre Koberidze (Alemanha/Israel, 2018, 28′)

MONTAGEM:
Resista Num Pálido Ponto Azul (Linger On Some Pale Blue Dot), Alexandre Koberidze (Alemanha/Israel, 2018, 28′)

SOM:
Past Perfect, Jorge Jácome (Portugal, 2019, 23′)

MELHOR FILME:
Rise, Bárbara Wagner, Benjamin de Burca (Brasil/Canadá/EUA, 2019, 20′)

CURTAS BRASILEIROS:

IMAGEM:
Quebramar, Cris Lyra (SP, 2019, 27′)

SOM:
Thinya, Lia Letícia (PE, 2019, 15′)

MONTAGEM:
Thinya, Lia Letícia (PE, 2019, 15’)

MELHOR FILME:
Sete Anos em Maio, Affonso Uchôa (MG, 2019, 42′)

MENÇÃO HONROSA:
Looping, Maick Hannder (MG, 2019, 12′)

LONGAS-METRAGENS:

IMAGEM:
Noite Passada Te Vi Sorrindo (Last Night I Saw You Smiling), Kavich Neang (Camboja/França, 2019)

MONTAGEM:
Koko-di Koko-da, Johannes Nyholm (Suécia/Dinamarca, 2019)

SOM:
A Febre, Maya Da-Rin (Brasil/França/Alemanha, 2019)

MELHOR FILME:
A Febre, Maya Da-Rin (Brasil/França/Alemanha, 2019)

PRÊMIO CANAL BRASIL
O Prêmio Canal Brasil de Curtas tem como objetivo estimular a nova geração de cineastas, contemplando os vencedores na categoria curta-metragem dos mais representativos festivais de cinema do país. Um júri convidado pelo Canal Brasil e composto por jornalistas especializados em cinema escolhe o melhor curta em competição, que recebe o troféu Canal Brasil e um prêmio no valor de R$ 15 mil.

MELHOR CURTA:
Sete Anos em Maio, Affonso Uchôa (MG, 2019, 42′)

PRÊMIO JANELA CRÍTICA

MELHOR CURTA NACIONAL:
Para Todas as Moças, Castiel Vitorino Brasileiro (ES, 2019, 3′)

MENÇÃO HONROSA:
Sete Anos em Maio, Affonso Uchôa (MG, 2019, 42′)

MELHOR CURTA INTERNACIONAL:
Rise, Bárbara Wagner e Benjamin de Burca (Brasil/Canadá/EUA, 2019, 20′)

MENÇÃO HONROSA:
Electric Swan, Konstantina Kotzamani (Argentina/Grécia/França, 2019, 40′)

MELHOR LONGA-METRAGEM:
So Pretty, Jessie Jeffrey Dunn Rovinelli (EUA/França, 2019)

MENÇÃO HONROSA:
Um Filme de Verão, Jo Serfaty (Brasil, 2019)

PRÊMIO JOÃO CARLOS SAMPAIO:
Ilhas de Calor, Ulisses Arthur (AL, 2019, 20’) 

PRÊMIO ABD-PE/APECI – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DOCUMENTARISTAS E CURTA METRAGISTAS / ASSOCIAÇÃO PERNAMBUCANA DE CINEASTAS

MENÇÃO HONROSA:
Sete Anos em Maio, Affonso Uchôa (MG, 2019, 42’) 

MENÇÃO HONROSA:
Looping, Maick Hannder (MG, 2019, 12’)

MENÇÃO HONROSA:
Ilhas de Calor, Ulisses Arthur (AL, 2019, 20’)

MELHOR FILME:
Para Todas as Moças, Castiel Vitorino Brasileiro (ES, 2019, 3’)

PROGRAMAÇÃO XII JANELA INTERNACIONAL DE CINEMA DO RECIFE

Programação dia a dia

Quarta-feira (06)

CINEMA SÃO LUIZ

15h
COMPETITIVA LONGAS: Last Night I Saw You Smiling / Noite Passada Te Vi Sorrindo, Kavich Neang (Camboja/França, 2019, 78′, DCP)
CURTAS INTERNACIONAIS: Linger on Some Pale Blue Dot / Resista Num Pálido Ponto Azul, Alexandre Koberidze (Alemanha/Israel, 2018, 29’, DCP)

17h15
ESPECIAL CURTAS: FAROL ACESO + debate

Cinema Contemporâneo, Felipe André Silva (PE, 2019, 5’, DCP)
Caranguejo Rei, Enock Carvalho, Matheus Farias (PE, 2019, 23’, DCP)
Tempestade, Fellipe Fernandes (PE, 2018, 20’, DCP)
A Mulher que Sou, Nathália Tereza (PR, 2019, 15’, DCP)
Swinguerra, Bárbara Wagner, Benjamin de Burca (PE, 2019, 23’, DCP)

19h30
ESPECIAL: Jogos Dirigidos / Directed Games, Jonathas de Andrade (PE, 2019, 57′, DCP) + trilha sonora ao vivo

21h
ABERTURA: The Lighthouse / O Farol, Robert Eggers (EUA/Brasil, 2019, 110′, DCP)

CINEMA DA FUNDAJ (DERBY)

17h30
CLÁSSICOS: Le Salaire de la Peur / O Salário do Medo / The Wages of Fear, Henri-Georges Clouzot (França/Itália, 1953, 146′, DCP)

Quinta-feira (07)

CINEMA SÃO LUIZ

14h
CURTAS INTERNACIONAIS: Programa TUDO TEM FEBRE

Fiebre Austral / Febre do Sul, Thomas Woodroffe (Chile, 2019, 20’, DCP)
ALTIPLANO, Malena Szlam (Chile/Argentina/Canadá, 2018, 16’, DCP)
Electric Swan / Cisne Elétrico, Konstantina Kotzamani (Argentina/Grécia/França, 2019, 40′, DCP)

15h40
CURTAS BRASIL: Programa CRIAR AS LEIS + debate

Quebramar, Cris Lyra (SP, 2019, 27’, DCP)
Para Todas as Moças / For All The Ladies, Castiel Vitorino Brasileiro (ES, 2019, 3’, DCP)
Sete Anos em Maio / Seven Years in May, Affonso Uchôa (MG, 2019, 42′, DCP)

17h40
CLÁSSICOS: Losing Ground / Sem Chão, Kathleen Collins (EUA, 1982, 86′, DCP)

19h30
ESPECIAL: Casa, Letícia Simões (Brasil, 2019, 94′, DCP) + debate

21h45
COMPETITIVA LONGAS: Koko-di Koko-da, Johannes Nyholm (Suécia/Dinamarca, 2019, 86′, DCP)
CURTA ESPECIAL: A História do Pequeno Puppetboy

CINEMA DA FUNDAJ (DERBY)

16h10
CURTAS INTERNACIONAIS: Programa AVISTADOS POR VAGALUMES

Past Perfect, Jorge Jácome (Portugal, 2019, 23’, DCP)
Traveling Shoes / Sapatos de Viagem, Kevin Jerome Anderson (EUA, 2019, 7’, DCP)
Rise, Bárbara Wagner, Benjamin de Burca (Brasil/Canadá/EUA, 2019, 20’, DCP)
Vever (For Barbara)/Vever (Para Barbara), Deborah Stratman (Guatemala/EUA, 2019, 12’, DCP)
Parsi, Eduardo “Teddy” Williams, Mariano Blatt (Guiné Bissau/Argentina/Suíça, 2018, 23’ DCP)

17h50
ESPECIAL: Passages / Passagens, Lúcia Nagib, Samuel Paiva (Reino Unido, 2019, 94′, DCP)

19h45
COMPETITIVA LONGAS: So Pretty, Jessie Jeffrey Dunn Rovinelli (EUA/França, 2019, 83′, DCP)

CINEMA DA UFPE

14h40
CURTAS BRASIL: Programa MUDAR DE ROTA

Thynia, Lia Letícia (PE, 2019, 15, DCP)
Teoria Sobre Um Planeta Estranho / Strange Planet Theory, Marco Antônio Pereira (MG, 2019, 15’, DCP)
Looping, Maick Hannder (MG, 2019, 12’, DCP)
Peixe, Yasmin Guimarães (MG, 2019, 17’, DCP)

16h
CLÁSSICOS: Le Salaire de la Peur / O Salário do Medo / The Wages of Fear, Henri-Georges Clouzot (França/Itália, 1953, 146′, DCP)

18h45
ESPECIAL CURTAS: FAROL ACESO + debate

Cinema Contemporâneo, Felipe André Silva (PE, 2019, 5’, DCP)
Caranguejo Rei, Enock Carvalho, Matheus Farias (PE, 2019, 23’, DCP)
Tempestade, Fellipe Fernandes (PE, 2018, 20’, DCP)
A Mulher que Sou, Nathália Tereza (PR, 2019, 15’, DCP)
Swinguerra, Bárbara Wagner, Benjamin de Burca (PE, 2019, 23’, DCP)

CINEMA DO PORTO DIGITAL

17h
SESSÃO COMENTADA PELOS DIRETORES: Bacurau, Kleber Mendonça Filho, Juliano Dornelles (Brasil/França, 2019, 132′, DCP)

Sexta-feira (08)

CINEMA SÃO LUIZ

14h
CURTAS INTERNACIONAIS: Programa AVISTADOS POR VAGALUMES + debate

Past Perfect, Jorge Jácome (Portugal, 2019, 23’, DCP)
Traveling Shoes / Sapatos de Viagem, Kevin Jerome Anderson (EUA, 2019, 7’, DCP)
Rise, Bárbara Wagner, Benjamin de Burca (Brasil/Canadá/EUA, 2019, 20’, DCP)
Vever (For Barbara)/Vever (Para Barbara), Deborah Stratman (Guatemala/EUA, 2019, 12’, DCP)
Parsi, Eduardo “Teddy” Williams, Mariano Blatt (Guiné Bissau/Argentina/Suíça, 2018, 23’ DCP)

16h
CURTAS BRASIL: Programa MUDAR DE ROTA + debate

Thynia, Lia Letícia (PE, 2019, 15, DCP)
Teoria Sobre Um Planeta Estranho / Strange Planet Theory, Marco Antônio Pereira (MG, 2019, 15’, DCP)
Looping, Maick Hannder (MG, 2019, 12’, DCP)
Peixe, Yasmin Guimarães (MG, 2019, 17’, DCP)

17h45
COMPETITIVA LONGAS: Um Filme de Verão / Sun Inside, Jô Serfaty (Brasil, 2019, 85′, DCP)
CURTAS BRASIL: Ilhas de Calor, Ulisses Arthur (AL, 2019, 20’, DCP)

20h10
ESPECIAL: Synonymes / Synonyms, Nadav Lapid (França/Israel/Alemanha, 2019, 123′, DCP)

22h30
COMPETITIVA LONGAS: So Pretty, Jessie Jeffrey Dunn Rovinelli (EUA/França, 2019, 83′, DCP)

CINEMA DA FUNDAJ (DERBY)

15h40
ESPECIAL: State Funeral / Funeral de Estado, Sergei Loznitsa (Holanda/Lituânia, 2019, 135′, DCP)

18h15
COMPETITIVA LONGAS: Koko-di Koko-da, Johannes Nyholm (Suécia/Dinamarca, 2019, 86′, DCP)

20h
CLÁSSICOS: Easy Rider / Easy Rider: Sem Destino, Dennis Hopper (EUA, 1968, cor, DCP 4K)

CINEMA DA UFPE

14h40
CURTAS BRASIL: Programa CRIAR AS LEIS

Quebramar, Cris Lyra (SP, 2019, 27’, DCP)
Para Todas as Moças / For All The Ladies, Castiel Vitorino Brasileiro (ES, 2019, 3’, DCP)
Sete Anos em Maio / Seven Years in May, Affonso Uchôa (MG, 2019, 42′, DCP)

16h20
BRASIL DISTÓPICO VOL. 2: O Jardim das Espumas, Luiz Rosemberg Filho (Brasil, 1970, 108′, PB, DCP)

18h15
CLÁSSICOS: Losing Ground / Sem Chão, Kathleen Collins (EUA, 1982, 86′, DCP)

CINEMA DO PORTO DIGITAL

17h
SESSÃO COMENTADA PELO DIRETOR: Divino Amor / Divine Love, Gabriel Mascaro (Brasil/Uruguai/Dinamarca/Noruega/Chile/Suécia, 2019, 101′, DCP)

Sábado (09)

CINEMA SÃO LUIZ

11h
FUNDAÇÃO BERGMAN: Fårödokument 1969, Ingmar Bergman (Suécia, 1969, 58′, PB, DCP) + comentário

14h
ESPECIAL: Indianara, Aude Chevalier-Beaumel, Marcelo Barbosa (Brasil, 2019, 84′, DCP)
CURTAS ESPECIAL: Rosário, Juliana Soares, Igor Travassos (PE, 2019, 18’, DCP) + debate

16h25
ESPECIAL: Vitalina Varela, Pedro Costa (Portugal, 2019, 124′, DCP)

18h50
CLÁSSICOS: SuperOutro, Edgard Navarro (Brasil, 1989, 46′, cor, 35mm) + debate
CURTA ESPECIAL: A Cristalização de Brasília, Guerreiro do Divino Amor (RJ/DF, 2019, 7’, DCP)

20h30
COMPETITIVA LONGAS: A Febre / The Fever, Maya Da-Rin (Brasil/França/Alemanha, 2019, 98′, DCP)

23h
CLÁSSICOS: Easy Rider / Easy Rider: Sem Destino, Dennis Hopper (EUA, 1968, cor, DCP 4K)

CINEMA DA FUNDAJ (DERBY)

14h
CURTAS BRASIL: Programa CRIAR AS LEIS

Quebramar, Cris Lyra (SP, 2019, 27’, DCP)
Para Todas as Moças / For All The Ladies, Castiel Vitorino Brasileiro (ES, 2019, 3’, DCP)
Sete Anos em Maio / Seven Years in May, Affonso Uchôa (MG, 2019, 42′, DCP)

15h30
COMPETITIVA LONGAS: Last Night I Saw You Smiling / Noite Passada Te Vi Sorrindo, Kavich Neang (Camboja/França, 2019, 78′, DCP)
CURTAS INTERNACIONAL: Linger on Some Pale Blue Dot / Resista Num Pálido Ponto Azul, Alexandre Koberidze (Alemanha/Israel, 2018, 29’, DCP)

17h30
CURTAS BRASIL: Programa MUDAR DE ROTA

Thynia, Lia Letícia (PE, 2019, 15, DCP)
Teoria Sobre Um Planeta Estranho / Strange Planet Theory, Marco Antônio Pereira (MG, 2019, 15’, DCP)
Looping, Maick Hannder (MG, 2019, 12’, DCP)
Peixe, Yasmin Guimarães (MG, 2019, 17’, DCP)

18h45
CURTAS INTERNACIONAIS: Programa TUDO TEM FEBRE

Fiebre Austral / Febre do Sul, Thomas Woodroffe (Chile, 2019, 20’, DCP)
ALTIPLANO, Malena Szlam (Chile/Argentina/Canadá, 2018, 16’, DCP)
Electric Swan / Cisne Elétrico, Konstantina Kotzamani (Argentina/Grécia/França, 2019, 40′, DCP)

20h15
CLÁSSICOS: Todo Sobre Mi Madre / Tudo sobre Minha Mãe / All About My Mother, Pedro Almodóvar (Espanha, 1999, 105′, cor, DCP)

Domingo (10)

CINEMA SÃO LUIZ

11h
ESPECIAL: Passages / Passagens, Lúcia Nagib, Samuel Paiva (Reino Unido, 2019, 94′, DCP) + debate

14h
ESPECIAL: State Funeral / Funeral de Estado, Sergei Loznitsa (Holanda/Lituânia, 2019, 135′, DCP)

17h
CLÁSSICOS: L’ Âge d’Or / A Idade do Ouro / The Golden Age, Luis Buñuel (França, 1930, PB, 60′, DCP 4K)

18h30
ESPECIAL: Abismo Tropical / Tropical Abyss, Paulo Caldas (Brasil, 2019, 72′, DCP) + debate

20h30
CLÁSSICOS: Todo Sobre Mi Madre / Tudo sobre Minha Mãe / All About My Mother, Pedro Almodóvar (Espanha, 1999, 105′, cor, DCP)

CINEMA DA FUNDAJ (DERBY)

10h30
CLÁSSICOS: Le Salaire de la Peur / O Salário do Medo / The Wages of Fear, Henri-Georges Clouzot (França/Itália, 1953, 146′, DCP)

14h
PROGRAMA CONVIDADO BRASIL DISTÓPICO VOL. 2: O Jardim das Espumas, Luiz Rosemberg Filho (Brasil, 1970, 108′, PB, DCP)

16h
COMPETITIVA LONGAS: Um Filme de Verão / Sun Inside, Jô Serfaty (Brasil, 2019, 85′, DCP)
CURTAS BRASIL: Ilhas de Calor, Ulisses Arthur (AL, 2019, 20’, DCP)

18h
COMPETITIVA LONGAS: A Febre / The Fever, Maya Da-Rin (Brasil/França/Alemanha, 2019, 98′, DCP)

20h
FUNDAÇÃO BERGMAN: Fårödokument 1979, Ingmar Bergman (Suécia, 1979, 103′, PB, DCP)

CLÁSSICOS

Easy Rider / Easy Rider: Sem Destino, Dennis Hopper (EUA, 1968, cor, DCP 4K)
L’Âge d’Or / A Idade do Ouro / The Golden Age, Luis Buñuel (França, 1930, PB, 60′, DCP 4K)
Le Salaire de la Peur / O Salário do Medo / The Wages of Fear, Henri-Georges Clouzot (França/Itália, 1953, 146′, DCP)
Losing Ground / Sem Chão, Kathleen Collins (EUA, 1982, 86′, DCP)
SuperOutro, Edgard Navarro (Brasil, 1989, 46′, cor, 35mm) * com presença do realizador
Todo Sobre Mi Madre / Tudo sobre Minha Mãe / All About My Mother, Pedro Almodóvar (Espanha, 1999, 105′, cor, DCP)

COMPETIÇÃO DE LONGAS

A Febre / The Fever, Maya Da-Rin (Brasil/França/Alemanha, 2019, 98′, DCP) *première brasileira
Koko-di Koko-da, Johannes Nyholm (Suécia/Dinamarca, 2019, 86′, DCP) *première brasileira
Last Night I Saw You Smiling / Noite Passada Te Vi Sorrindo, Kavich Neang (Camboja/França, 2019, 78′, DCP) *première brasileira
So Pretty, Jessie Jeffrey Dunn Rovinelli (EUA/França, 2019, 83′, DCP) *première brasileira
Um Filme de Verão / Sun Inside, Jô Serfaty (Brasil, 2019, 85′, DCP)

COMPETIÇÃO DE CURTAS BRASILEIROS

CRIAR AS LEIS
Quebramar, Cris Lyra (SP, 2019, 27’, DCP)
Para Todas as Moças / For All The Ladies, Castiel Vitorino Brasileiro (ES, 2019, 3’, DCP)
Sete Anos em Maio / Seven Years in May, Affonso Uchôa (MG, 2019, 42′, DCP)

MUDAR DE ROTA
Thynia, Lia Letícia (PE, 2019, 15, DCP)
Teoria Sobre Um Planeta Estranho / Strange Planet Theory, Marco Antônio Pereira (MG, 2019, 15’, DCP)
Looping, Maick Hannder (MG, 2019, 12’, DCP)
Peixe, Yasmin Guimarães (MG, 2019, 17’, DCP)

Ilhas de Calor, Ulisses Arthur (AL, 2019, 20’, DCP) *exibido antes do longa Um Filme de Verão

COMPETIÇÃO DE CURTAS INTERNACIONAIS

TUDO TEM FEBRE
Fiebre Austral / Febre do Sul, Thomas Woodroffe (Chile, 2019, 20’, DCP)
ALTIPLANO, Malena Szlam (Chile/Argentina/Canadá, 2018, 16’, DCP)
Electric Swan / Cisne Elétrico, Konstantina Kotzamani (Argentina/Grécia/França, 2019, 40′, DCP)

AVISTADOS POR VAGALUMES
Past Perfect, Jorge Jácome (Portugal, 2019, 23’, DCP)
Traveling Shoes / Sapatos de Viagem, Kevin Jerome Anderson (EUA, 2019, 7’, DCP)
Rise, Bárbara Wagner, Benjamin de Burca (Brasil/Canadá/EUA, 2019, 20’, DCP)
Vever (For Barbara)/Vever (Para Barbara), Deborah Stratman (Guatemala/EUA, 2019, 12’, DCP)
Parsi, Eduardo “Teddy” Williams, Mariano Blatt (Guiné Bissau/Argentina/Suíça, 2018, 23’ DCP)

Linger on Some Pale Blue Dot / Resista Num Pálido Ponto Azul, Alexandre Koberidze (Alemanha/Israel, 2018, 29’, DCP) *exibido antes do longa Noite Passada Te Vi Sorrindo

SESSÕES ESPECIAIS

CURTAS-METRAGENS

FAROL ACESO
Cinema Contemporâneo, Felipe André Silva (PE, 2019, 5’, DCP)
Caranguejo Rei, Enock Carvalho, Matheus Farias (PE, 2019, 23’, DCP)
Tempestade, Fellipe Fernandes (PE, 2018, 20’, DCP)
A Mulher que Sou, Nathália Tereza (PR, 2019, 15’, DCP)
Swinguerra, Bárbara Wagner, Benjamin de Burca (PE, 2019, 23’, DCP)

A Cristalização de Brasília, Guerreiro do Divino Amor (RJ/DF, 2019, 7’, DCP) *exibido antes de SuperOutro

Rosário, Juliana Soares, Igor Travassos (PE, 2019, 18’, DCP) *exibido antes de Indianara

Sagan om den lille Dockpojken / A História do Pequeno Puppetboy / The Tale of Little Puppetboy, Johannes Nyholm (Suécia, 2008, 18′, DCP) *exibido antes de Koko-di Koko-da (sessão do Cine São Luiz)

LONGAS-METRAGENS

Abismo Tropical / Tropical Abyss, Paulo Caldas (Brasil, 2019, 72′, DCP)
Casa, Letícia Simões (Brasil, 2019, 94′, DCP)
Indianara, Aude Chevalier-Beaumel, Marcelo Barbosa (Brasil, 2019, 84′, DCP)
Jogos Dirigidos, Jonathas de Andrade (PE, 2019, 57′, DCP) *trilha sonora ao vivo
Passages / Passagens, Lúcia Nagib, Samuel Paiva (Reino Unido, 2019, 94′, DCP)
State Funeral / Funeral de Estado, Sergei Loznitsa (Holanda/Lituânia, 2019, 135′, DCP)
Synonymes / Synonyms, Nadav Lapid (França/Israel/Alemanha, 2019, 123′, DCP)
The Lighthouse / O Farol, Robert Eggers (EUA/Brasil, 2019, 110′, DCP)
Vitalina Varela, Pedro Costa (Portugal, 2019, 124′, DCP) *première brasileira

SESSÕES COMENTADAS PELO DIRETOR

Bacurau, Kleber Mendonça Filho, Juliano Dornelles (Brasil/França, 2019, 132′, DCP)
Divino Amor / Divine Love, Gabriel Mascaro (Brasil/Uruguai/Dinamarca/Noruega/Chile/Suécia, 2019, 101′, DCP)

PROGRAMAS CONVIDADOS

BRASIL DISTÓPICO VOL. 2

O Jardim das Espumas, Luiz Rosemberg Filho (Brasil, 1970, 108′, PB, DCP)

FUNDAÇÃO BERGMAN

Fårödokument 1969, Ingmar Bergman (Suécia, 1969, 58′, PB, DCP)
Fårödokument 1979, Ingmar Bergman (Suécia, 1979, 103′, PB, DCP)

Anunciamos a lista de curtas selecionados para a Mostra Competitiva da décima segunda edição do Janela Internacional de Cinema do Recife, que acontece de 6 a 10 de novembro.

No total são 17 obras de 13 países que formam um ponto de vista sobre a produção no último ano. Confira a lista:

Curtas brasileiros

■ Ilhas de Calor (Ulisses Arthur, AL)
■ Looping (Maick Hannder, MG)
■ Para Todas as Moças (Castiel Vitorino Brasileiro, ES)
■ Peixe (Yasmin Guimarães, MG)
■ Quebramar (Cris Lyra, SP)
■ Sete Anos em Maio (Affonso Uchôa, MG/Argentina)
■ Teoria Sobre um Planeta Estranho (Marco Antônio Pereira, MG)
■ Thynia (Lia Letícia, PE)

Curtas internacionais

■ ALTIPLANO (Malena Szlam, Chile/Argentina/Canadá)
■ Austral Fever/Febre do Sul (Thomas Woodroffe, Chile)
■ Electric Swan/Cisne Elétrico (Konstantina Kotzamani, Argentina/Grécia/França)
■ Linger on Some Pale Blue Dot/Resista Num Pálido Ponto Azul (Alexandre Koberidze, Alemanha/Israel)
■ Parsi (Eduardo “Teddy” Williams, Guiné-Bissau/Argentina/Suíça)
■ Past Perfect (Jorge Jácome, Portugal)
■ Rise (Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, Brasil/Canadá/EUA)
■ Traveling Shoes/Sapatos de Viagem (Kevin Jerome Everson, EUA)
■ Vever (For Barbara)/Vever (Para Barbara) (Deborah Stratman, Guatemala/EUA)

O Janela Internacional de Cinema do Recife inaugura nesta edição as suas atividades de Mercado. Pela primeira vez teremos o JaneLab, oferecendo a 4 projetos de longa-metragem em estágio de desenvolvimento consultorias individuais com a produtora Rachel Ellis (“Boi Neon”, “Divino Amor”) e o produtor Leonardo Mecchi (“A Febre”, “Los Silencios”). As consultorias terão foco em coproduções internacionais.

As inscrições estão abertas até 5/11 e os selecionados serão divulgados no dia 6/11.

Inscrições: http://bit.ly/janelab_inscricoes

Foram anunciados os novos nomes dos 6 participantes da 12ª Janela Crítica, oficina que acontece durante o Janela de Cinema desde a primeira edição. Durante a oficina, os jovens críticos irão exercitar o olhar e o pensamento sobre o cinema, sob orientação do professor e realizador André Antônio, produzindo resenhas e críticas sobre os filmes exibidos no Janela. Além disso, os participantes da Janela Crítica são responsáveis por premiar um filme do Festival.

– Cátia Maria de Barros Soares
– David Montenegro
– José Domingos da Silva Neto
– Mariana Olímpia Cândido de Oliveira
– Rodrigo Fernan
– Victor Costa Leite

Queridas Amigas e Amigos do Janela,

Os tempos são difíceis mas há notícias boas. Após lançarmos a campanha de financiamento coletivo para o próximo Janela, obra de um mutirão de gente que quer ver o festival acontecer, recebemos três.

A primeira, a imediata reação de apoio nas redes, e que fizeram atingirmos 80% de nossa primeira meta.

As outras duas, gratas surpresas, que tornam nossa narrativa mais alegre: com o anúncio de que o Janela estava sem incentivos para ser realizado, a Prefeitura do Recife, parceira anual, entendendo a importância de que o pensamento artístico não perca agentes, de que o mercado audiovisual local não perca fôlego e de que a rede de acesso à Cultura não encolha, nos ofereceu um montante especial, de R$ 100 mil, para patrocinar o evento.

Em seguida, nova notícia: recursos solicitados via convocatória do Fundo Setorial do Audiovisual, com que já não contávamos, foram concedidos ao Janela. Teremos mais cerca de R$ 120 mil. R$ 220 mil já garantidos para fazer a décima segunda edição do festival.

É importante termos claro: festivais como o Janela são realizados sem fins lucrativos. Trabalhamos mediante cachês condizentes com os valores de mercado, previamente estabelecidos e aprovados em mecanismos de incentivo e sobre os quais prestamos contas aos devidos sistemas de aporte. Somos trabalhadores, justamente.

Eventos de cultura, como festivais de cinema, não custam barato. Logística, remuneração, direitos de exibição, muitos e muitos detalhes. Um festival como o Janela, em especial, tem ao menos dois traços particulares:

O Janela é um festival internacional, que exibe filmes estrangeiros, inclusive cópias restauradas de grandes clássicos, em diálogo direto com arquivos e distribuidoras internacionais, e arca com custos como pagamentos de direitos, transporte internacional de sempre excelentes cópias, tradução e legendagem, isto em cenário de desvalorização da moeda brasileira. Nossa equipe de produção sempre deu um jeito de viabilizar o Janela com bem menos dinheiro que festivais do mesmo perfil e porte.

O Janela é como um fórum de cinema. Encontros, discussão e produção crítica são importantes, e por isso buscamos garantir que realizadores, produtores, críticos, programadores, possam estar entre nós. São custos de passagem e hospedagem para dezenas de pessoas.

Cada festival faz parte da cadeia que faz o cinema feito no Brasil chegar tão longe. Um festival como o Janela está na história de muitos filmes.

Quando o Janela pôde contar com incentivo da Petrobras e do Funcultura Audiovisual, chegamos a um orçamento de algo em torno de R$ 450 mil. Com isso, pudemos fazer edições de 10 dias de duração com convite a realizadores de todos os filmes brasileiros programados, filmes internacionais de diversos perfis, produção de catálogo, convidados. Dando um jeito de fazer.

No ano passado, sem apoio da Petrobras, nosso orçamento foi reduzido a mais da metade. Fizemos um lindo Janela, num momento em que precisávamos nos fortalecer uns aos outros. Mas não pudemos trazer ao Recife todas as pessoas importantes. Não tivemos como produzir um catálogo do festival. Precisamos reduzir a programação à metade. Conquistamos uma edição memorável. Nos bastidores, não foram as melhores condições.

Este ano, faríamos um belo e importante Janela de qualquer jeito. Mesmo que ainda menor, em condições mais difíceis ainda. Com as boas notícias, ganhamos a oportunidade de fazer novos planos.

Assim como na última edição, o Janela terá 5 dias de duração. Ocorrerá entre os dias 6 e 10 de novembro, no Cinema São Luiz, no Cinema da Fundação do Derby e no recém-inaugurado Cinema da UFPE, alegria especial ocupar este equipamento sensacional em ambiente universitário. Temos muito, muito trabalho pra fazer até lá.

O segundo foi reformular nossa campanha. Podemos fazer um festival mais próximo do que o Janela é, mas você ainda pode contribuir com os custos do festival, em troca de recompensas. As metas podem ser acessadas na página da campanha. A cada colaboração, esta se torna uma edição mais forte, uma edição para tempos de reforçar a importância de estar junto.

Aproveitamos para agradecer dois grandes parceiros que nos apoiam desde a primeira edição, o CCBA (Centro Cultural Brasil Alemanha) e a Embaixada da França no Brasil, assim como as centenas de pessoas que colaboraram através do Benfeitoria.

Cheguem perto,
Um grande abraço,
Equipe do Janela

A décima segunda edição do Janela Internacional de Cinema do Recife recebe de 23 a 28 de outubro inscrições gratuitas para a oficina Janela Crítica, atividade voltada a jovens críticos que desejam exercitar um olhar crítico para o cinema pela escrita. A oficina acontecerá de 4 a 10 de novembro e o festival será realizado de 6 a 10.

Nesta edição, a coordenação da oficina será feita pelo professor e realizador pernambucano André Antônio. Professor do curso de Fotografia da Unicap e doutor em Comunicação e Cultura pela UFRJ, onde desenvolveu pesquisa sobre uma estética do artifício no cinema brasileiro contemporâneo, André é realizador de filmes junto ao coletivo de cinema Surto & Deslumbramento. Em 2015 estreou seu primeiro longa, “A Seita” e se prepara para filmar o segundo, “Salomé”.

A oficina irá selecionar seis pessoas e os participantes irão vivenciar a prática da crítica cinematográfica durante o festival. Em encontros com André Antônio, terão a chance de discutir os principais conceitos e correntes da crítica de cinema, os diversos formatos e abordagens da escrita crítica e diálogos entre a crítica e o cinema contemporâneo.

Os selecionados terão acesso gratuito à todas as sessões do Festival para produzir críticas que serão veiculadas no site do evento. Os participantes também irão integrar o júri especial Janela Crítica, divididos em três grupos, para eleger os melhores filmes nas categorias de curtas nacionais, curtas internacionais e longas.

INSCRIÇÕES

Para participar da seleção, é preciso preencher o formulário on-line. Também devem enviar uma crítica de até 2500 caracteres sobre um filme da sua escolha (seja curta ou longa, ficção ou documentário) e seus dados pessoais e curriculares como nome, idade, cidade, telefone, universidade (curso e periodização), conhecimento de línguas estrangeiras, endereço de blog ou site, caso tenha um. Os participantes precisam ter a partir de 18 anos, por questões de adequação de conteúdo.

Candidatos de qualquer lugar do Brasil poderão ser considerados, mas o evento não custeia a passagem e estada dos selecionados. As inscrições seguem até 28 de outubro. O resultado da seleção será divulgado até 31 de outubro.